Novidades
recent

Dieta - Faça ela funcionar

Faca-a-dieta-funcionar
Fazer dieta é um desafio. Isso todo mundo sabe – até quem nunca precisou fazer dieta! E sabe por quê? O motivo é simples: toda “dieta” presume algum tipo de restrição, seja de calorias, de determinado tipo de alimento ou mesmo de horários de consumo. Mas sejamos sinceros: quando nos impomos uma meta com base no “não pode”, geralmente a vontade de escapulir é grande. É ou não é?

É por isso que as “dietas” baseadas no conceito de reeducação alimentar costumam estar entre as mais eficientes no quesito “benefícios de longo prazo”. Para todos os tipos de objetivo – perder peso, ganhar massa muscular, controlar a glicemia, o colesterol ou outras taxas –, a reeducação alimentar costuma ser a melhor saída porque trabalha novos hábitos. E esses novos hábitos não estão relacionados apenas ao que se come, mas também a como e quanto se come.
Se você (como eu) integra o grupo de quem já começou a fazer dieta milhares de vezes e depois acabou desistindo de todas elas, não se desespere. O primeiro passo é entender que sempre se pode recomeçar. Levante a cabeça e nada de esperar pela segunda-feira! Comece HOJE: em plena quarta-feira ou qualquer dia da semana! Com isso você vai deixar bem claro que quem manda é você – e não a gula ou a preguiça.
Resolvida essa questão, vamos à próxima: como fazer a dieta funcionar. As sete estratégias a seguir são simples e certamente úteis para quem quer se manter na linha. Incorpore-as como hábito para a vida toda!
Silhueta
1 Tenha em mente que o seu objetivo é de longo prazo. Você quer perder 5 kg para sempre e não apenas para caber naquele vestido lindo de madrinha no casamento da sua amiga daqui a três meses. Lapsos ocasionais podem ocorrer (como enfiar o pé na jaca no casamento), mas não devem ser usados como desculpa para abandonar a dieta, ou melhor, sua alimentação saudável de longo prazo (melhor assim, não é?).
2 Retire as travessas da mesa. É claro que vai ser difícil colocar esta estratégia em prática num grande evento familiar ou em festas, como o Natal, mas considere adotar a medida para as refeições do dia a dia. Quando você se serve direto das panelas e leva o prato já montado para a mesa, a tentação de repetir é menor do que quando as travessas ficam ali na sua frente. Muitas vezes estamos apenas conversando e, como as outras pessoas ainda não terminaram, acabamos repetindo mesmo já estando satisfeitos – principalmente quando a comida está gostosa! Essa medida ainda tem outra vantagem: menos louça para lavar!! :D
3 Não coma diretamente das embalagens. Você chega no supermercado e escolhe aquele biscoitinho integral light que tem apenas 100 kcal por porção de 30 g. Nossa, que maravilha! Mas aí você abre o pacote e vai comendo… Ops! Quantos biscoitos eu comi? Você olha para o pacote (que tem 150 g) e percebe que mais da metade já se foi! Tsc, tsc, tsc. Para não cair nessa armadilha, coloque a porção de biscoitos num prato de modo que possa visualizar o que está comendo.
Coma-salada
4 Reserve o momento de comer… para comer! Parece bobagem, mas não é. Se você comer enquanto estiver lendo, trabalhando no computador ou assistindo à televisão, vai perder facilmente a noção de quanto já comeu e nem vai sentir o gosto da comida! Preste atenção ao seu prato, saboreie os alimentos e deixe que os sentidos digam ao cérebro que você já se alimentou e que está satisfeito!
5 Coma devagar. Combine esta medida com a estratégia acima, pois não adianta “reservar o momento de comer” se ele durar apenas 10 minutos. O centro de controle do apetite no cérebro leva cerca de 20 minutos para registrar que há alimento no estômago. Para dar tempo, apoie o garfo no prato após cada garfada e beba um pouco de líquido. Voilà! Agora você sabe por que parece que você comeu demais no fim daqueles longos almoços de aniversário ­– ainda que tenha escolhido o mesmo prato que o deixou “com fome” quando foi sozinho ao restaurante e almoçou em 10 minutos.
Prato-pequeno
6 Use pratos menores. Nem todo mundo se dá conta, mas não comemos apenas com a boca. Comemos com os olhos, o nariz e o tato também! Tanto a combinação de ingredientes e sabores como o aroma, a textura e a apresentação dos alimentos produzem grandes efeitos em nosso cérebro. E usar pratos menores é um truque infalível para que as porções pequenas pareçam maiores! (Infelizmente, muitos restaurante a quilo abusam dessa mesma estratégia para obter o efeito oposto, colocando à disposição pratos enoooormes que nos fazem comer demais sem querer!)
7 Evite reunir-se na cozinha. As reuniões familiares na cozinha são bem típicas e acabam por sabotar qualquer dieta. Claro! Com tantas opções para beliscar fora de hora… Embora não pareça, isso também acontece muito quando vamos visitar parentes e amigos com quem temos mais intimidade. O melhor é ficar conversando na sala, longe de todas aquelas tentações.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.